Publicado por: Dirceu Rabelo | 11/02/2012

URUBU: UM AMIGO DESCONHECIDO E INCOMPREENDIDO

URUBU: UM AMIGO DESCONHECIDO E INCOMPREENDIDO

Os urubus, aves da ordem Cathartiformes e da família Cathartidae, são aves de extrema importância na natureza por serem necrófagos, ou seja, são aves que se alimentam de animais já mortos. Eles são responsáveis pela eliminação de 95% das carcaças dispostas em um ecossistema, sendo a maioria delas de mamíferos.

No Brasil são conhecidas cinco espécies de urubus: O imponente urubu-rei (Sarcoramphus papa) e o urubu-da-mata (Cathartes melambrotos), que muito raramente são encontrados próximos das áreas urbanizadas, e o urubu-preto (Coragyps atratus), o urubu-de-cabeça-vermelha (Cathartes aura), e o urubu-de-cabeça-amarela (Cathartes burrovianus).

Apesar de sua importância e abundância, poucas pessoas conhecem seus hábitos, como o comportamento alimentar e a hierarquia respeitada por essas aves. Os urubus localizam a carcaça, normalmente, por possuírem um ótimo sentido de olfato, sendo muito mais desenvolvido no urubu-de-cabeça-vermelha e de-cabeça-amarela, estes localizam primeiro a carcaça e assim são seguidos pelas outras espécies.

Os cientistas ainda não desvendaram totalmente esse mistério, mas acreditam que os urubus se deliciam com comida estragada sem passar mal graças ao seu sistema imunológico e ao potente suco gástrico secretado por seu estômago. Mas isso não significa que eles prefiram carne podre à fresquinha. Acontece que os urubus não têm habilidade para caçar, pois as garras de suas patas são ineficientes para essa tarefa. Assim, só lhes resta a carcaça de animais mortos.

Apesar de feioso e com má fama, o urubu tem papel essencial na natureza. Como é um animal necrófago, que se alimenta de carne em putrefação, faz uma espécie de “faxina” nos locais onde vive, pois elimina do meio ambiente a matéria orgânica em decomposição. Para encontrar a refeição, eles contam com olfato e visão apurados. São capazes de ver um bicho pequeno a 3 mil metros de altura! Mas os urubus não cantam de galo: eles não têm siringe, o órgão vocal das aves, e só fazem uns barulhos esquisitos chamados de crocitar.

BELEZA ROUBADA

Urubus são feios e sujos, mas cheios de truques para sobreviver ao cardápio nojento

À FLOR DA PELE

A cabeça e o pescoço pelados dos urubus ajudam na sobrevivência. Como eles se alimentam de carne podre, cheia de bactérias e outros microorganismos letais, se tivessem penas, essas regiões poderiam entrar em contato com a comida, transformando-se em pontos de contaminação.

CARONA VOADORA

Espertos, os urubus aproveitam as correntes de ar quente para planar por horas a fio sem fazer esforço. Eles fazem movimentos ascendentes em espiral em largos círculos e voam dezenas de quilômetros atrás de alimento. No solo, quando se sentem ameaçados, regurgitam para perder peso e alçar vôo com mais rapidez.

PASSO A PASSO

Os urubus têm um andar engraçado e desengonçado por causa de seus pés chatos. Eles não possuem habilidade para caminhar, como fazem outras aves, e dão pequenos pulinhos para se deslocar. Ao contrário de aves de rapina como as águias, eles não têm uma garra funcional, por isso não conseguem capturar presas.

OVOS NO PAREDÃO

A reprodução dos urubus acontece no início da primavera. Diferentemente da maioria das aves, eles não constroem ninhos em plantas. As fêmeas fazem a postura entre rochas escondidas, paredões rochosos e árvores ocas. Normalmente, colocam dois ou três ovos, sendo que o período de incubação varia de 49 a 56 dias conforme a espécie.

DUPLA PROTEÇÃO

O estômago dos urubus secreta um suco gástrico que neutraliza as bactérias e toxinas presentes na carne putrefata. Além disso, acredita-se que os anticorpos de seu sistema imunológico fazem com que ele seja imune a doenças que atingiriam os humanos se resolvêssemos adotar o menu indigesto.

LEI DO MAIS FORTE

Cinco espécies de urubus, como o urubu-da-mata, vivem no Brasil. Com o olfato mais apurado, o urubu-de-cabeça-vermelha e o urubu-de-cabeça-amarela encontram primeiro a comida e são seguidos pelos demais. Mas quem come primeiro é o urubu-rei, que é maior e tem o bico mais forte, ideal para rasgar a pele da carcaça. Enquanto ele se esbalda, os demais, como o urubu-de-cabeça-preta, se afastam da carniça. O urubu-rei tem esse nome por causa do bico forte e da exuberante coloração de sua cabeça.

REFRESCO NOJENTO

Como não tem glândulas sudoríparas para dissipar o calor, o urubu usa uma estratégia cabulosa para evitar que a temperatura de seu corpo suba demais: defeca e faz xixi nas próprias pernas! O cheiro ruim também afasta eventuais predadores. Além disso, ficam com o bico aberto para perder calor .

Fonte: mundoestranho.abril.com.br

Fonte: http://www.zoologico.sp.gov.br 

Anúncios

Responses

  1. Desde pequena quis ser pássaro, sonho demais que estou voando!! Adoro esses sonhos em que vôo… Sempre digo que gostaria de ser Urubu!!! As pessoas zombam de mim, simplesmente respondo: Ninguém quer me matar e não me falta alimento nunca! Que sorte nascer urubu!!! Amei a homenagem a meus queridos ídolos da natureza!
    Grande abraço,
    Renata

  2. Querida Renata,
    Busquei esta matéria, para homenagear os desconhecidos e incompreendidos URUBUS, quando ouvi meus netos em algazarra fazerem de conta que estavam atirando neles. Meus netinhos têm 3 e 4 anos e o coleguinha 8 anos.
    Eles disseram que o URUBU E O GAVIÃO são “muito” ruins: o urubu porque come até gente e o gavião porque come pintinhos.
    Dei-lhes uma aula de biologia, mostrando que os gaviões são grandes predadores de cobras e ratos que são muito mais nocivos, se aumentarem na natureza.
    Sobre o urubu minha explicação foi mais simples: “Eles comem tudo que está apodrecendo na natureza e que se ficasse lá, mataria os seres humanos com seu mau cheiro e pestilência.
    Entenderam tanto que passaram de “caçadores” a “observadores” e acho que fiz um bem a eles e à natureza.

    Quanto a ti, cara Renata,
    Continue com teus sonhos reais:
    voe mesmo como o belo urubu
    e plaine sobre as montanhas.
    Te alimentes das podres entranhas
    dos cadáveres fétidos de animais.
    E verás então, a tua “grandeza”
    Pois terás o respeito dos povos
    Que sempre verão em ti, ébano/ave
    O equilíbrio mor da mãe natureza.

    Um fraternal e mineiro abraço!

  3. Que maravilha, querido Dirceu!!! Não me canso de agradecer-lhe os benefícios que sempre você nos dá. Como é bom dar atenção às brincadeiras das crianças, pois precisam de boa orientação e nem sempre elas estão com uma presença sábia. Parabéns por seus atos e por compartilhar conosco o BEM. Admiro muito o senhor!
    Amei o poema, que PRESENTE!!! Muito obrigada!
    Retribuo o abraço, porém bem pernambucano, VISSE??
    Renata

  4. Renata,
    Não sei sua idade (e nem precisa me dizer…rsrsrsrs) mas, embora eu tenha feito agora no dia 1º de fevereiro, 65 anos, por favor, gostaria que você dispensasse o “senhor”. É que me sinto mais velho quando me tratam de “senhor”, e não é isso que acontece comigo; minha cabeça (meu espírito) é jovem, muito jovem.
    Embora eu já esteja aposentado, continuo trabalhando e contribuindo para o INSS. Não posso parar! Mas, do meu tempo que sobra (e ainda sobra bastante) dedico parte dele aos meus netos e filha adotiva que moram aqui em Dom Joaquim/MG.
    Mas, já tive um casamento com uma pernambucana e dessa união tivemos dois filhos: a moça nasceu em Olinda e hoje é bióloga e mora em Belo Horizonte. O rapaz morava até há pouco tempo aí em Recife, onde nasceu. Hoje mora em Campina Grande/PB, onde estuda aviação.
    Amo o Recife como minha terra e quando vou aí – e vou sempre – não deixo de dar um passeio na Jaqueira, de comprar alguns livretos de Cordel e de comer essas comidas típicas maravilhosas daí.
    Acho que numa reencarnação bem recente nasci nordestino… Quem sabe, Lampião!
    Abraço!

  5. A cara do BLOG DA MARILIA!!!!! =)

  6. Tanto é que já está lá. E merecidamente! Beijão!

  7. Muito interessante! Temos um casal de urubus que resolveram fazer um ninho em cima da nossa casa. Hoje estão com dois filhotes. Acabei lendo sobre o assunto pq achei incomum tal ave se aproximar tanto do ser humano. É nossa atração!

    • Que bom Vilma, que você está protegendo o casal e seus filhotes. O normal, pelo menos aqui no Brasil, pelo preconceito, seria os donos da casa enxotar pai, mãe e ovos para longe… Meus parabéns! A Mãe Natureza agradece!

  8. Fiz uma postagem onde o urubu é o mais sensato no hábito alimentar. Ele não mata nada para se alimentar.

    • E ainda presta um grande serviço à natureza e à humanidade, querida Valdélia. Gostaria de saber onde foi que você fez essa postagem… Queria ler!
      Grande abraço!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: