Publicado por: Dirceu Rabelo | 19/12/2012

HISTÓRIA DO ISLAMISMO

HISTÓRIA DO ISLAMISMO

.

maome

Maomé , História da Religião Islâmica, Doutrinas , Alcorão, Expansão do Império Islâmico, Preceitos Religiosos,

Festas e Lugares Sagrados, Divisões do Islamismo, Império Árabe.

 

INTRODUÇÃO

            A religião muçulmana tem crescido nos últimos anos (atualmente é a segunda maior do mundo) e está presente em todos os continentes. Porém, a maior parte de seguidores do islamismo encontra-se nos países árabes do Oriente Médio e do norte da África. Assim como as religiões cristãs, a religião muçulmana é monoteísta, ou seja, crê na existência de apenas um deus, Alá ou Allah (palavra para designar Deus em árabe).

            Criada pelo profeta Maomé, a doutrina muçulmana encontra-se no livro sagrado, o Alcorão ou Corão. Foi fundada na região da atual Arábia Saudita.

            O Islamismo tem aproximadamente 1500 anos e é tão antiga quando o cristianismo. Hoje cerca de 1/5 da população mundial são mulçumanos. É a religião que mais vêm crescendo.O Islamismo ocupa o segundo lugar em números de seguidores, só perder para o catolicismo. Existem mulçumanos em quase todos os países do mundo.

            Os profetas que os muçulmanos acreditam são: Adão,Noé, Abraão, Ismael, Isaac, Jacó, José, Jó, Moisés, Arão, Davi, Salomão Elias, Jonas, João Batista e Jesus Cristo. Sendo que o último profeta que revela as verdades de Deus foi Maomé (Mohammad) através do anjo Gabriel.

            Significados das palavras:

-Islam (palavra árabe) = entrega.

-Alah – Deus.

-Muçulmano – é aquela pessoa que pratica o islam (islã).

            O Islamismo é contra drogas, consumo de bebidas que fazem mal ao corpo, é proibido o consumo de carne de porco. Os muçulmanos acreditam no reino de Deus, vêem essa vida como provação.

            No período da idade média, os muçulmanos tiveram destaque nas pesquisas científicas e no desenvolvimento da astronomia, matemática, arquitetura, medicina e navegação. Os números romanos foram trocados pelos algarismos arábicos (1,2,3,4…) , usados até hoje pela maioria dos países do mundo.

 

VIDA DO PROFETA MAOMÉ

            Muhammad (Maomé) era da tribo de coraich e nasceu na cidade de Meca no ano de 570. Filho de uma família de comerciantes passou parte da juventude viajando com os pais e conhecendo diferentes culturas e religiões. Aos 40 anos de idade, de acordo com a tradição, recebeu a visita do anjo Gabriel que lhe transmitiu a existência de um único Deus. A partir deste momento, começa sua fase de pregação da doutrina monoteísta, porém encontra grande resistência e oposição. As tribos árabes seguiam até então uma religião politeísta, com a existência de vários deuses tribais.

            Maomé começou a ser perseguido e teve que emigrar para a cidade de Medina no ano de 622. Este acontecimento é conhecido como Hégira e marca o início do calendário muçulmano.

            Em Medina, Maomé é bem acolhido e reconhecido como líder religioso. Consegue unificar e estabelecer a paz entre as tribos árabes e implanta a religião monoteísta. Ao retornar para Meca, consegue implantar a religião muçulmana que passa a ser aceita e começa a se expandir pela península Arábica.

            Reconhecido como líder religioso e profeta, faleceu no ano de 632. Porém, a religião continuou crescendo após sua morte.

 

LIVROS SAGRADOS E DOUTRINAS RELIGIOSAS

            O Alcorão ou Corão é um livro sagrado que reúne as revelações que o profeta Maomé recebeu do anjo Gabriel. Este livro é dividido em 114 capítulos (suras). Entre tantos ensinamentos contidos, destacam-se: onipotência de Deus (Alá), importância de praticar a bondade, generosidade e justiça no relacionamento social. O Alcorão também registra tradições religiosas, passagens do Antigo Testamento judaico e cristão.

            Os muçulmanos acreditam na vida após a morte e no Juízo Final, com a ressurreição de todos os mortos.

            A outra fonte religiosa dos muçulmanos é a Suna que reúne os dizeres e feitos do profeta Maomé.

 

PRECEITOS RELIGIOSOS

            A Sharia define as práticas de vida dos muçulmanos, com relação ao comportamento, atitudes e alimentação. De acordo com a Sharia, todo muçulmano deve seguir cinco princípios:

– Aceitar Deus como único e Muhammad (Maomé) como seu profeta;

– Dar esmola (Zakat) de no mínimo 2,5% de seus rendimentos para os necessitados;

– Fazer a peregrinação à cidade de Meca pelo menos uma vez na vida, desde que para isso possua recursos;

– Realização diária das orações;

– Jejuar no mês de Ramadã com objetivo de desenvolver a paciência e a reflexão.

 

LOCAIS SAGRADOS

            Para os muçulmanos, existem três locais sagrados: A cidade de Meca, onde fica a pedra negra, também conhecida como Caaba. A cidade de Medina, local onde Maomé construiu a primeira Mesquita (templo religioso dos muçulmanos). A cidade de Jerusalém, cidade onde o profeta subiu ao céu e foi ao paraíso para encontrar com Moisés e Jesus.

 

DIVISÕES DO ISLAMISMO

            Os seguidores da religião muçulmana se dividem em dois grupos principais: Sunitas e Xiitas. Aproximadamente 85% dos muçulmanos do mundo fazem parte do grupo sunita. De acordo com os sunitas, a autoridade espiritual pertence a toda comunidade. Os xiitas também possuem sua própria interpretação da Sharia.

 

IMPÉRIO ÁRABE

 

História da formação do Império Islâmico, Cultura Árabe, o Alcorão, Islamismo, Maomé, expansão da Religião Muçulmana, Mesquitas, Arabescos, Povo, Literatura, Beduínos do deserto.

 

INTRODUÇÃO

            O Império Árabe teve sua formação a partir da origem do islamismo, religião fundada pelo profeta Maomé. Antes disso, a Arábia era composta por povos semitas que, até o século VII, viviam em diferentes tribos. Apesar de falarem a mesma língua, estes povos possuíam diferentes estilos de vida e de crenças. 

 

ARABIA PRÉ-ISLÂMICA

            Os beduínos eram nômades e levavam uma vida difícil no deserto, utilizando como meio de sobrevivência o camelo, animal do qual retiravam seu alimento (leite e carne) e vestimentas (feitas com o pêlo). Com suas caravanas, praticavam o comércio de vários produtos pelas cidades da região. Já as tribos coraixitas, habitavam a região litorânea e viviam do comércio fixo.

EXPANSÃO DO ISLAMISMO E A FORMAÇÃO DO IMPÉRIO

            Foi após a morte do profeta, em 632, que a Arábia foi unificada. A partir desta união, impulsionada pela doutrina religiosa islamita, foi iniciada a expansão do império árabe.  Os árabes foram liderados por um califa, espécie de chefe político, militar e religioso.

            Os seguidores do alcorão, livro sagrado, acreditavam que deveriam converter todos ao islamismo através da Guerra Santa. Firmes nesta crença, eles expandiram sua religião ao Iêmen, Pérsia, Síria, Omã, Egito e Palestina. Em 711, dominaram grande parte da península ibérica, espalhando sua cultura pela região da Espanha e Portugal. Em 732, foram vencidos pelos francos, que barraram a expansão deste povo pelo norte da Europa. Aos poucos, novas dinastias foram surgindo e o império foi perdendo grande parte de seu poder e força.

 

EXPANSÃO DA CULTURA ÁRABE

            Durante o período de conquistas, ampliaram seu conhecimento através da absorção das culturas de outros povos, levando-as adiante a cada nova conquista. Foram eles que espalharam pela Europa grandes nomes como o de Aristóteles e também outros nomes da antiguidade grega. Eles fizeram ainda importantes avanços e descobertas médicas e cientificas que contribuíram com o desenvolvimento do mundo ocidental.

            No campo cultural, artístico e literário deixaram grandes contribuições. A cultura árabe caracterizou-se pela construção de maravilhosos palácios e mesquitas. Destacam-se, nestas construções, os arabescos para ilustração e decoração. A literatura também teve um grande valor, com obras até hoje conhecidas no Ocidente, tais como: As mil e uma noites, As minas do rei Salomão e Ali Babá e os quarenta ladrões.

 

CALIFA

 

Saiba o que é, chefe político e religioso, funções, poderes.

CALIFA: Chefe Supremo no período do Império Árabe.

 

DEFINIÇÃO

            CALIFA era o título que se atribuía ao chefe supremo do islamismo, durante o período de expansão do Império Árabe (entre os séculos VIII e XV). O califa era considerado o sucessor de Maomé.

            O califa possuía vários poderes relacionados à justiça, economia, ações militares e ações religiosas.

            Dava-se o nome de califado ao período em que um califa exercia seu poder.

 

SITE: http://www.suapesquisa.com/islamismo/

Fonte: O.U.S.E. – Ordem Universal dos Seres Estelares


Responses

  1. Estou amando este blog.Fiquei encantada com o Mapa Mundi digital e tenho certeza que conhecerei um pouco do mundo pelo seu blog.Obrigada!

  2. A minha felicidade, querida Miriam é a sua felicidade. Faço tudo isso com o interesse único de ajudar. É de importância capital para mim ajudar o semelhante e um comentário como este seu me deixa numa felicidade plena.
    Você encontrará muitos assuntos interessantes além da Doutrina Espírita que é o foco principal de nosso blog.
    Que Jesus a abençoe.
    Um abraço no seu coração!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: