Publicado por: Dirceu Rabelo | 05/02/2013

FAMILIARES

FAMILIARES

.

Família de negros

.

Busquem a prática dos ensinamentos de Jesus dentro de seus lares, onde começa a nossa responsabilidade maior.

Pois é dentro dos nossos lares, que estão muitas vezes irmãos, com os quais devemos nos harmonizar.

Na maioria das vezes, é dentro de nossos lares que estão os nossos maiores desafios, exigindo mais esforço para que consigamos fazer o que planejamos antes de reencarnar.

As vezes pensamos que basta simplesmente nos afastar.

Não é tão simples assim, se estamos juntos não é mera coincidência, Deus nada faz por acaso.

Pensemos que estamos juntos, com um único objetivo, que é aprender a amar o próximo como a si mesmo.

De um amigo espiritual aos amigos da Fraternidade.

.

Mensagem recebida pelo Grupo de Estudos da Psicografia da Fraternidade Francisco de Assis

.Fraternidade Francisco de Assis2

Anúncios

Responses

  1. Pura verdade! “dentro de nossos lares que estão os nossos maiores desafios”.

  2. E é a Bondade de Deus que nos une Dully, para que, nascendo como parentes (filhos, pais, irmãos) possamos amar com mais facilidade nossos inimigos do passado. Acontece às vezes, desses espíritos não se tolerarem mesmo e se “estranharem” mais uma vez. Terão quantas chances forem necessárias para se amarem.
    Eu tenho um filho que foi um grande inimigo do passado. Nós estudamos juntos o assunto e falamos dele várias vezes. Quando acontece alguma desavença entre nós, reconhecemos que ainda é resquício do passado e rimos de tudo…É a evolução necessária a todos nós, em direção ao Pai e Criador.
    Abraço fraternal!

  3. Olá, então, mas às vezes, quando a convivência é realmente difícil, e só traz mais rancores não é melhor o afastamento para que se possa manter o respeito e a tolerância com o familiar? Acredito que Deus não espere que fiquemos doentes ao ter que conviver com pessoas que nos fazem realmetne muito mal física, mental e espiritualmente? Acredito que quando essas relações de parentesco são muito próximas como nos casos de conjuges, ou pais e filhos e quando não existe disposição de ambas as partes em manter o respeito pela individualidade e jeito de ser do outro é melhor o afastamento físico, para que algo de bom dessa convivência possa permanecer, e quem sabe, aos poucos a aproximação mais profunda seja possível… Não consigo entender benefício espiritual numa relação onde uma parte só vampiriza a outra, tentando dominar e controlar, uma hora o espírito cativo tem que tentar sair dessas amarras para conseguir cultivar o amor fraternal pelo seu agressor… Concorda ou qual seria um caminho possível?

    • No caso acima, querida Bia, a questão é a reencarnação de inimigos no mesmo lar. Deus permite isso para que façamos as pazes que é de extrema importância. Nós espíritas, sabendo disso, temos que nos esforçar para tolerar o irmão mais agressivo verbalmente, o pai alcoólatra, a cunhada mais intolerante, o filho que não quer nos ouvir, e por aí vai.
      Se fugimos deles, vamos nos encontrar em outras vidas. Então, fazendo isso, estaremos só protelando o esforço de fazer “as pazes” com aqueles que nós ferimos no passado com nossas atitudes impensadas, nossos desvarios, etc.
      Deu para entender?
      Abraço no seu espírito!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: