Publicado por: Dirceu Rabelo | 18/03/2013

VOCÊ ENGOLE SAPOS?

VOCÊ ENGOLE SAPOS?

.

Silvana Giudice

.

Você engole sapos 2

.

Você cresceu ouvindo: “Meu filho, na vida a gente tem que aprender a engolir sapos”! 

Sabe aquela resposta que alguém te dá um tanto quanto atravessada?
Aquela “brincadeirinha” sem graça e inconveniente do seu colega de trabalho?
Aquelas provocações maldosas de alguns parentes mais próximos? E entre uma cutucada aqui e uma cotovelada ali, mais um sapo goela abaixo…
O chamado “engolir sapo” é não responder um insulto, uma ironia, uma acusação, aceitando calado o que logo após nos traz uma terrível indigestão de sapos crus, mal passados, queimados….
Haja brejo! Haja estômago!

Quando aceitamos calados certos desaforos podemos sentir raiva, frustração, impotência e autocobrança por não termos revidado diante de uma situação vexatória e a raiva é uma emoção que muitos de nós temos dificuldades em administrar e mesmo manifestar.
Enterramos a agressividade com medo das consequências e vamos nos submetendo a situações destrutivas muitas vezes anos à fio….
Até aquela altura, que também acabamos sendo agressivos com aqueles lá de casa, que nada tem a ver com a história como nossos pais, filhos, marido, mulher…
Descarregamos nas pessoas erradas e próximas por acreditarmos que estes continuarão a nos amar pela eternidade. Aliás, estes também devem engolir muitos de “nossos sapos”, sabe-se lá desde quando e até quando…

Claro que na vida, alguns filhotinhos de sapos até podemos engolir se temperarmos com um pouquinho de inteligência e humildade e até para trabalharmos a questão à nosso favor.
Não dá para levar absolutamente tudo “à ferro e fogo” e se encararmos o “sapo” como um meio de transformarmos uma negativa em oportunidade, poderemos inclusive melhorar nossos sentimentos em relação às pessoas desenvolvendo o nosso lado compassivo.

No mínimo se julgarmos o sapo indevido, podemos até mudar a trajetória e ao invés de deixar entrar direto pela boca, deixar entrar por um ouvido e sair pelo outro.
Seguindo o raciocínio de Sartre em uma de suas célebres frases: “Não importa o que o mundo fez com você, mas o que você fez com o que o mundo fez com você”….
Não interessa os sapos que empurraram para você, mas o que você fez com os sapos que empurraram para você”

NR) Hoje foi um dia em que me foram servidos, especialmente, sapos de todos os tipos para degustar. Desceram amargos, alguns, outros menos, mas, consegui engolir (até agora) todos. Que Jesus continue me ajudando a tosar meu “topete”, para que eu consiga até o final desta reencarnação, engolir todos os anfíbios anuros que me chegarem (e sei que serão muitos), sem pestanejar e estalar a língua de prazer… Ou melhor, de Glórias a Deus!

Anúncios

Responses

  1. Ta difícil engolir os sapos, estou evitando até de chegar perto de muitos, me isolando em casa, porque os stress e a irritação está tão grande, que no próximo sapo, vômito na car da pessoa.

  2. Querida Kely,
    Os “sapos” que nos são dados para engolir, são provações que Deus permite que nos cheguem, para que nos amansemos e nos tornemos mais dóceis e humildes. A própria vida irá nos mostrando que as pessoas que nos agridem estão “doentes”, e NECESSITAM URGENTEMENTE de um medicamento chamado ORAÇÃO. Faça isso; ore por elas e não vomite nelas outra coisa que não seja orações.
    Um beijo no seu coração!

  3. Ultimamente fui obrigada a engolir um sapo imenso e foi muito doloroso para mim,pois tive que fazer o que não queria para conseguir o que precisava,mas graças a Deus encarei a muito custo como um aprendizado,uma experiencia a mais nessa vida,algo que guardarei para sempre,pois aprendi muito e passei por tudo sempre pedindo a Deus forças para continuar e esperando ter deixado algo de bom onde passei e tentando entender os que comigo caminharam.
    Fique na paz!
    Iracema.

  4. Essas experiências querida Iracema só nos elevam espiritualmente. Repare, veja o quanto você cresceu depois disso? Pode até ser meio doloroso, mas temos que ser humildes algum dia e a humilhação de termos que baixar a cabeça e ouvir algo que não queríamos virá como uma luva para nossa caminhada evolutiva.
    Nós, como espíritos precisamos crescer sempre. E quando nos acontece isso, damos um passo longo e subimos vários degraus…
    Grande abraço deste seu amigo e irmão em Jesus!

  5. Bom normalmente não me digno a responder besteira nem picuinhas pois esse tipo de coisa apenas traz perda de tempo e atrai companias indesejáveis do astral, mas se for coisa grave muda de figura, não fica por isso mesmo.
    Já sou conhecida pelo gênio forte e as pessoas pensam bem no que vão falar na minha frente pois sabem que uma palavra é faca de 2 gumes quem fala tb deve escutar.
    No momento que vc compactua com a crueldade, a humilhação, a mentira, o erro e a dor daí nada poderá ser revertido de bom e os ‘sapos’ na minha opinião significam isso.
    Já tive milhares de exemplos de como isso afeta mal alguém que não reage a essas abusos.
    E digo reação ponderada, calma baseada na verdade, não falo de brigas, escarcéus ou baixarias.
    Falo tudo que tenho que falar na voz mais calma do mundo sem deixar margem para agressão continuar, simplesmnete rezo por aquele que está ali tentando prejudicar alguém pois ele é digno de ajuda, sequer sabe que tudo q emana volta a ele .

  6. Li e reli seu comentário várias vezes, querida Ingrid. Você é uma nova leitora que Deus nos enviou e fiquei muito feliz com outro comentário que você fez há poucos dias.
    O que você diz deveria fazer parte da própria matéria, pois também sou da opinião de que se uma pessoa é tida como o dono da verdade e começa a gritar com as pessoas, falando alto, mesmo estando errado, numa hora essa pessoa terá que encontrar alguém que o faça ouvir, mas alguém que fale baixo, com calma, serenidade e dentro daqueles limites toleráveis e com as palavras certas.
    Fui um emérito engolidor de sapos; depois passei para a fase de não engolir nem um girino, ou seja, explodia logo no primeiro instante e assustava até o meu agressor e agora estou (graças a Deus) entrando nesta fase em que você se encontra de deixar o outro falar suas asneiras, pois ele é um doente espiritual e quando falo, aplico-lhe um medicamento. É a lógica!
    Obrigado por sua participação querida Ingrid e continue abrilhantando este blog com seus excelentes comentários.
    Grande abraço mineiro e fraternal.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: