Publicado por: Dirceu Rabelo | 01/01/2015

ZUMBI DO OUVIDO – POEMA

ZUMBI DO OUVIDO – POEMA

.

zombi

.

ZUMBI DO OUVIDO

.

Dirceu Rabelo

.

Nasci com um estranho zumbido

Que sempre atazanou meu ouvido

Desde aquele meu primeiro vagido

E tem me deixado agora doido varrido

.

É como se fosse um enervante apito

De parecença sair dos confins do infinito

De espírito rebelde em seu lúgubre grito

Preso num trem com seu trilho em atrito

.

Este é meu grilo falante e arqui-inimigo

Que deve ter se destemperado comigo

Em vidas convividas em claustro abrigo

Expiando barulhos em forma de castigo

.

Ouço de vez em quando um estampido

Estranho estalo em meio a tanto ruído

E sonho com um corpo já meio carcomido

De um zumbi do passado que posso ter sido…

.

Dom Joaquim, 30 de dezembro de 2014.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: